fbpx

12 dicas de relacionamento com clientes para arquitetos

A execução dos projetos é uma das etapas que precisam de bom entendimento e boa capacidade de lidar com clientes, já que é um dos momentos em que podem ocorrer mais imprevistos, demandando capacidade de encontrar soluções rápidas para contornar os problemas, minimizando o impacto no orçamento final, mantendo os clientes satisfeitos.

Essa habilidade é de suma importância para obter indicações e ser reconhecido no mercado por saber lidar com essas adversidades. Por isso, apresentaremos aqui algumas dicas e práticas que impactam positivamente no relacionamento com os clientes. Quer saber quais são? Então, continue a leitura e não perca!

Entenda por que é importante ter bons relacionamentos com os clientes

Os projetistas e arquitetos precisam ser hábeis em transmitir ideias sobre projetos complexos de maneira compreensível e clara. Ter bons relacionamentos é a base para conseguir negociações bem-sucedidas com os clientes. O modo de se relacionar evita discussões, promove a transparência e a confiança entre as partes.

Estabeleça um canal de comunicação confiável para fazer reuniões presenciais ou virtuais e para trocar mensagens continuamente com o público. Compreender a visão e as necessidades deles com a realização dos projetos requer tempo, dedicação e proximidade. Pratique a escuta ativa e tenha empatia se deseja atrair e fidelizar os clientes.

Confira dicas para manter bons relacionamentos com clientes na arquitetura

Cada cliente tem uma perspectiva única, motivo pelo qual os projetistas devem se esforçar para compreender os desejos, requisitos e preferências do seu público. Esses profissionais podem elaborar projetos que transmitam o perfil e a essência dos seus clientes. Observe abaixo algumas sugestões para melhorar os seus resultados e cultivar relacionamentos mais profundos!

1. Ter uma comunicação direta

Uma comunicação direta promove uma relação mais sólida com o cliente, que passa a confiar e se sentir muito mais seguro. Contudo, é preciso ter atenção na forma de abordar cada cliente, quais os meios que utilizará para se comunicar e como documentará as mudanças e solicitações que forem feitas.

Para uma comunicação direta podemos incluir que, no escopo de um projeto, é necessário ser claro em relação a datas, prazos, serviços envolvidos e os que não estão inclusos, evitando dúvidas e mal-entendidos. Afinal, a falta de transparência é um dos maiores pontos de insatisfação.

2. Estar aberto a feedbacks

Os feedbacks, em geral, são indicativos de aspectos que precisam ser melhorados ou modificados. Sendo assim, você não deve apenas ouvir quando o cliente pontua algum aspecto positivo, como também deve solicitar a opinião ao fim do projeto ou serviço realizado. Dessa forma, você poderá verificar gargalos e implementar as melhorias necessárias para realizar seu trabalho ainda melhor.

Os feedbacks podem estar relacionados tanto a processos, como também às soluções de projeto. Portanto, é interessante consultar os clientes também após algum período de conclusão do projeto, a fim de saber a avaliação deles a respeito das soluções projetadas e executadas. Assim, seus próximos projetos serão ainda mais eficientes.

3. Usar a tecnologia para facilitar a comunicação

As redes sociais, e principalmente o WhatsApp, fazem parte do nosso dia a dia, assim como da maior parte das pessoas. Por isso, marcar presença nas redes sociais e responder e atender os clientes e pessoas interessadas é uma excelente opção para tornar a comunicação mais simples e fácil.

A partir do momento no qual um contrato é assinado e um projeto se inicia, o WhatsApp é um grande aliado para se comunicar rapidamente, resolver problemas com agilidade e até mesmo documentar mudanças.

4. Ser flexível

Ao fazer um projeto, o arquiteto interpreta sonhos, desejos e necessidades de um cliente e, por isso, precisa ser sensível para compreender e flexível para renunciar a seus gostos pessoais. Muitas vezes, uma solução pode ser a mais indicada e esteticamente agradável, porém, não é o que o cliente deseja ou o que realmente funciona em sua rotina.

Pode até acontecer que seu cliente deseje algo que você considera inadequado. É preciso lidar com essas situações que podem eventualmente ocorrer e explicar o motivo da sua escolha. Entretanto, a flexibilidade não engloba questões que impactarão negativamente a edificação, a segurança ou o cumprimento das normas técnicas.

Ser flexível também não envolve abrir mão do uso dos materiais, resultando em problemas futuros. Contudo, mesmo nesses momentos, é preciso saber comunicar essas informações ao cliente, fazendo-o compreender que não se trata de algo pessoal e, sim, de seu bem-estar futuro.

A flexibilidade está relacionada à compreensão do sonho do cliente mesmo se a ideia parecer confusa. Quando isso ocorrer, você precisará unir sua sensibilidade e sua experiência, para entender e ajustar o projeto, até que o resultado seja realmente o esperado.

Em alguns momentos, você também pode não compreender o que o cliente realmente deseja ou precisa, ou ele pode não conseguir expressar essas informações com certeza e será necessário refazer layouts, modificar ideias ou, até mesmo, recomeçar um projeto.

A flexibilidade, entretanto, não precisa ser prejudicial para o arquiteto e não significa que você deve refazer o projeto constantemente. Por isso, realize rascunhos e confirme-os com seu cliente antes de prosseguir com as etapas seguintes.

5. Ser ágil na resolução de problemas

Os problemas fazem parte da execução de projetos, uma vez que imprevistos são comuns nesse cenário. Portanto, o profissional precisa ser organizado de forma que consiga resolver os problemas rapidamente e com eficiência. Essa habilidade não elimina aborrecimentos e desgastes por parte do cliente, porém, sendo transparente e agindo com agilidade, é possível garantir a satisfação ao fim do processo.

Para que isso seja possível, acompanhe de perto o que é realizado. Além disso, documente os imprevistos e problemas ocorridos, seus motivos e como foram resolvidos, para que nas próximas etapas ou projetos sejam antecipados, ou até mesmo evitados.

6. Entender o perfil de cada cliente

Entender o perfil do seu cliente é de extrema importância, principalmente no universo da arquitetura. Afinal, dessa forma será mais fácil entender o que ele deseja e o que espera do projeto, para encontrar a melhor forma de se comunicar, projetar e de apresentar o que está sendo proposto.

Entretanto, é necessário adequar as dores à realidade do cliente. Por exemplo, um cliente recém-casado provavelmente priorizará aspectos diferentes de um casal de idosos. Ou então, em uma casa com crianças pequenas, a escada mais indicada é com corrimão, em vez de uma em balanço — por mais que essa seja uma opção extremamente elegante.

As necessidades de uma casa na praia são diferentes das que se evidenciam em um apartamento de um grande centro urbano. Portanto, analisar todos esses fatores proporciona que as soluções oferecidas sejam realmente relevantes para cada cliente, localidade e objetivo.

7. Se adaptar aos clientes

Para conseguir se adaptar ao cliente, primeiro, é preciso ser empático, ou seja, colocar-se no lugar dele — compreendendo seus sonhos, objetivos e necessidades. Afinal, principalmente no caso de um projeto, para os clientes não se trata de um produto ou serviço e sim de uma experiência desejada, como também de um sonho ou objetivo que, muitas vezes, foi planejado há muitos anos.

O relacionamento com clientes é essencial, pois não adianta ser um profissional criativo e diferenciado se não atende às necessidades e demandas ou se não realiza um bom atendimento. Por isso, é essencial ser flexível, se comunicar bem, de forma transparente e se atentar ao perfil do cliente, pois assim, além de oferecer boas soluções, conseguirá atender aos desejos dele.

8. Use a tecnologia para facilitar a comunicação

A área da arquitetura está em constante evolução, com novas tecnologias surgindo o tempo todo para facilitar o trabalho dos projetistas. Os novos desenvolvimentos trouxeram tecnologias bastante promissoras nos últimos anos, como aplicativos de mensagens instantâneas, chatbots e dispositivos com Inteligência Artificial que estão revolucionando o mundo dos negócios.

Faça uso dessas inovações que têm o potencial para melhorar significativamente a eficiência e a produtividade na arquitetura. Há alternativas que proporcionam aos arquitetos acesso rápido e fácil, bem como uma riqueza de recursos e informações. Elas podem ajudar a economizar o tempo e o esforço necessários para concluir várias tarefas e agilizar as aprovações de planejamentos.

9. Gerenciar as expectativas

Ter ciência das expectativas dos clientes, ser claro e realista são componentes vitais para profissionais que trabalham com qualquer tipo de projeto. Os projetistas devem apresentar os cronogramas do projeto com transparência, falar sobre eventuais restrições orçamentárias e antecipar os possíveis desafios. Essa conduta evita mal-entendidos, aumenta a confiança e minimiza as chances de decepções.

10. Colaborar com os objetivos

Os relacionamentos florescem com mais facilidade quando os projetistas veem os clientes como colaboradores, em vez de considerá-los apenas como proprietários do projeto. Incentive-os a contribuir com as suas ideias, pensamentos e receba positivamente cada feedback. Esse esforço promove um senso de propriedade e investimento enquanto o arquiteto orienta as decisões para obter excelentes resultados.

11. Apostar na adaptabilidade

A adaptabilidade é fundamental no presente cenário que está em constante evolução na arquitetura. Os projetistas frequentemente encontram imprevistos, desafios ou solicitações de modificações de seus clientes. Seja flexível para realizar mudanças e mantenha a visão central do projeto ao mesmo tempo, em que demonstra profissionalismo, dedicação e capacidade para lidar com qualquer situação.

12. Superar as expectativas 

O objetivo dos projetistas não pode ser apenas atender às expectativas do público, mas superá-las. Busque a excelência em todas as etapas do projeto e deixará uma marca positiva em seus clientes. Vá além, seja por meio de atenção meticulosa aos detalhes, soluções de design inovadoras ou gerenciamento impecável dos serviços.

Compreenda as consequências de não ter um bom relacionamento

Não ter bons relacionamentos com os clientes pode trazer consequências duradouras para um projetista, com implicações negativas que vão além de ter um cliente insatisfeito. As más experiências do público podem ser amplificadas com apenas alguns cliques nas redes sociais, surgindo avaliações prejudiciais que podem manchar a reputação e reduzir as vendas.

Como você pôde ver, todos esses pontos evidenciam que o relacionamento com clientes é muito importante para a manutenção da satisfação e até mesmo obtenção de novos, por meio de indicações. Contudo, para o sucesso de uma empresa ou escritório, é essencial fazer uma divulgação eficiente.

Aproveite a visita ao blog e veja também 6 dicas de como divulgar os projetos do escritório de arquitetura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?